.

.

**

**

*

*

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Conheça os motivos que podem tirar o “mito” do cargo de técnico do Tricolor antes do esperado.

Rogério Ceni não tem desenvolvido bem, segundo especialistas (Foto: Reprodução)
Rogério Ceni não é mais unanimidade nem mesmo entre a torcida do São Paulo. Ao contrário, a paciência com o técnico Tricolor está derretendo como gelo sob o sol e não será surpresa se sua demissão for anunciada nas próximas rodadas.

Confira abaixo alguns motivos que podem ser cruciais para tirar o técnico do cargo:
Precipitação

Passada a euforia inicial do começo de trabalho, vieram os vários tropeços e foi ficando claro para especialistas que Rogério ainda não estava preparado para o cargo. Os cursos que fez em um ano não são suficientes para lhe dar a bagagem necessária. O óbvio era ter começado nas categorias de base e não de cara treinando um dos maiores do Brasil.

A megalomania falou mais alto de todos os lados.
Prepotência

Outro ponto que vem minando o trabalho de Ceni no São Paulo é a forma com que ele responde às perguntas em suas coletivas. Mesmo diante de seguidas eliminações, o técnico tenta passar a ideia de que seu time é quem merecia ter vencido e, para sustentar seu ponto de vista, apresenta um festival de números (cruzamentos, posse de bola, etc.). Ele só não se aprofunda no número mais importante: o placar do jogo.

Em alguns momentos, Ceni chega a ser deselegante com profissionais da imprensa. Em uma das ocasiões, ao ser questionado por que o Corinthians era mais organizado que a sua equipe, o treinador disse que o jornalista é quem deveria explicar, já que pensava assim.
Relacionamento com o grupo

A imaturidade no cargo aliada a uma certa arrogância são ingredientes péssimos para quem comanda um grupo de profissionais.



No polêmico caso do fair play de Rodrigo Caio contra o Corinthians, Ceni remoeu tanto o assunto que deixou mais do que subentendido que não aprovava a atitude do atleta. No programa “Bem Amigos”, da Sportv, voltou a ser irônico e gerou um grande desconforto no zagueiro que estava sentado ao seu lado.


Mesmo que os demais jogadores discordassem da atitude de Rodrigo Ceni, nenhum deles deve ter aprovado a fritura pela qual o companheiro passou nas mãos do técnico. É como se imaginassem: “Se fez com ele, também poderá fazer com a gente”. Parece que Ceni quis queimar o zagueiro, mas acabou se queimando, pelo menos com alguns do grupo.
Equipe não evolui

Nas primeiras partidas sob o comando de Ceni, o São Paulo chegou a apresentar um bom futebol. Goleou algumas vezes e venceu o Santos dentro da Vila, mas logo a equipe passou a sofrer vários gols e a ceder o empate para adversários inferiores. Vieram as fases mais importantes e o São Paulo fracassou no Paulista, na Copa do Brasil e, finalmente, na Sul-Americana, quando caiu para o minúsculo Defensa Y Justicia, equipe que fazia a sua primeira partida internacional oficial.




O mais preocupante é que mesmo tendo mais tempo para treinar que os rivais, já que só tem o Brasileirão para disputar, o time não evoluiu. Ao contrário, piora. Se antes era uma equipe que fazia, mas levava muitos gols, agora se tornou uma equipe com grande dificuldades para marcar.

As próximas rodadas serão de fogo para o técnico do São Paulo. Até mesmo um tropeço diante do Fluminense pode custar o fim da era Ceni no Morumbi. #Rogério Ceni #Rogerio Ceni Demitido #São Paulo FC

Nenhum comentário:

Postar um comentário